Eu não quero seu “elogio”!

think-olga-chega-fiu-fiu-cecilia-silveira-5-net-1024x724

Imagem retirada do Blog Think Olga – Campanha Chega de Fiu Fiu

Desde os meus 12, 13 anos recebo cantadas na rua. Eu ainda era uma menina quando ouvia palavras maliciosas de homens desconhecidos. E eu sempre me perguntei o porquê. O que realmente passa na cabeça dos homens que fazem isso. Acham engraçado? Divertido? Acham que estão agradando?
Será que esses mesmos homens achariam normal ou aceitável se isso acontecesse com as mulheres da família deles? Ai acho que a coisa mudaria de figura, não é mesmo?
São raros os dias em que saio de casa e volto sem ouvir pelo menos um buzinaço. E todas às vezes eu me pergunto até quando vou ter que suportar isso.
Tenho vontade de revidar, mas sou tomada pelo medo de receber alguma retaliação e acabo me calando e fingindo pra mim mesma que não ouvi nada daquilo.

Imagem: Reprodução

Uma vez me falaram que a culpa é minha, que meu corpo chama atenção e que é assim mesmo, significa que eu sou bonita. É mesmo? Então eu devo aceitar esse desrespeito todos os dias porque o meu corpo agrada os tarados. Já ouvi até um: “Anda de burca então se não quer que olhem pra você”. E eu não sei o que dói mais… Se são as cantadas ou se são as pessoas do meu convívio que acham isso normal e culpam a vítima.
Não estou fazendo drama. Sou vítima sim. Eu e mais milhares de mulheres por ai. Cantada de rua não é elogio, é invasão, é agressão. Não é engraçado nem motivo para piadas. Pelo contrário, é triste e muito real.
As mulheres não querem “elogios” de homens desconhecidos. As mulheres querem respeito. Apenas isso.

Anúncios