No sofá: The Lunchbox (2013)

O tipo de filme que você assiste com um sorriso no canto da boca. É puro, leve, divertido como muitas vezes o cinema deixa de ser.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Nesse longa conhecemos a história de Ila, vivida pela belíssima Nimrat Kaur, dona de casa com um casamento infeliz e Saajan, interpretado por Irrfan Khan, um viúvo bastante amargurado.

Ila, tentando fazer com que o esposo volte a se interessar por ela, prepara todos os dias refeições diferentes que lhes são entregues através do Dabbawallahs, sistema que permite que os cônjuges que trabalham possam ter seu almoço vindo diretamente de casa na hora certa, todos os dias. Sua eficácia é atestada pela Universidade Harvard, praticamente infalível. (Vale ressaltar que esse serviço realmente existe na Índia. São mais de 16 milhões de entregas diariamente e apenas uma não chega ao destino correto. Incrível, não?)

Por um acaso do destino, a marmita de Ila não vai para o seu esposo, mas sim, para Saajan, que fica encantado com aquele tempero tão diferente. Quando seu marido chega em casa a noite, Ila lhe pergunta sobre seu almoço, e ele a responde com desdém. Ela fica triste, mas não desiste de tentar reaver o casamento. No dia seguinte manda juntamente com a comida, um bilhete carinhoso e novamente a marmita caí nas mãos do velho viúvo. A partir desse bilhete, os dois começam a se corresponder, dando início a uma bela amizade. Ambos levam vidas infelizes, sendo o momento da troca de cartas a única possibilidade fugir da realidade.

Lunchbox é a primeira produção do diretor indiano Ritesh Batra, mas conta com a sensibilidade de um veterano. O roteiro é muito bem construído a partir de uma ideia simples, mas que ao ser bem trabalhada oferece várias possibilidades de reflexão. Os assuntos tratados nos bilhetes instigam também o espectador, pois são temas comuns a vida cotidiana. Me imaginei dentro do filme algumas vezes, pensando o que faria se estivesse no lugar de algum deles.

Um drama, com leves toques de comédia e romance, dando tempero ideal à trama. Um prato cheio para quem gosta de filmes que são capazes de transmitir mensagens. De forma sutil, a obra deixa no espectador aquela pulginha que faz refletir sobre a forma que tratamos certos pontos da nossa vida.

Recomendo para todas as pessoas de todas as idades. Sem dúvidas, um filme que cumpre seu papel e merece ser apreciado!

Assista aqui ao trailer do filme:

Anúncios